Couchsurfing: dicas para conseguir hospedagem e boas práticas

Dicas

Couchsurfing: dicas para conseguir hospedagem e boas práticas

Dicas

por Eduardo Guollo de Melo — Postado em 24 de Nov de 2015

Já pensou em viajar conhecendo muita gente legal, trocando diversas experiências, e se hospedando de graça? Este é o Couchsurfing!

O que é o Couchsurfing? É uma comunidade e rede social com website e perfis pessoais, porém o termo “Couchsurfing” se espalhou como hospedagem gratuita e é muito usada nos grupos de Facebook, como “Sofa Amigo”, ou pelos estudantes do Ciência sem Fronteiras, que criam pedidos através dos próprios grupos ou mensagem inbox para aqueles que oferecem no mural.

Mas vamos ao que interessa! Como usufruir deste estilo de hospedagem?

“Oi, tudo bem? Estarei indo para Londres com dois amigos(as) e gostaria de saber se alguém pode nos dar um cantinho. Não daremos nenhum trabalho, só passaremos a noite e precisamos de um teto para dormir e um chuveiro para banho. Em troca ofereço hospedagem em Amsterdam”.

Sério! PARA TUDO!

Se você começou fazendo um pedido/request de couch assim está tudo errado. Mas por quê?

Primeira coisa básica do Couchsurfing: NÃO É TROCA DE HOSPEDAGEM, NÃO É TROCA DE FAVOR, e, por favor, não vá com o pensamento de que é APENAS ECONOMIZAR E HOSPEDAGEM GRATUITA. É muito mais que isso:

- É uma forma de conhecer pessoas, através de encontros comunitários em algumas cidades, se hospedando ou sendo hospedado;

- É um intercambio cultural, através da troca de experiências mútua entre o anfitrião e o hóspede;

- É uma maneira de conhecer melhor o lugar que está visitando através de dicas e informações de locais residentes, saindo um pouco do elo turístico;

- É uma forma de aprender novas coisas, ou ensinar, sejam línguas, cozinhar, música, etc.

Entenderam quais são os princípios? Então agora sim, vamos às dicas para conseguir um sofá na sua viagem.

  1. Comece hospedando para ganhar referências

    - Uma boa maneira para começar um perfil é abrindo as portas da sua casa, e assim, ganhar referências que irão servir para conseguir um sofá quando precisar. Afinal, quanto mais referências tiverem, melhor a hipótese de aceitação.


    Surpresa que minhas hóspedes fizeram no meu aniversário.

  2. Procurando um host

    - Primeiramente, o Couchsurfing não é um canal de encontros, claro que se rolar uma vibe tudo pode acontecer, mas não vá com essa mentalidade. Seja aberto a ambos os gêneros, casais, famílias, pois as melhores experiências podem acontecer com alguém que você nem imagina.

    - Infelizmente, alguns usam como canal de encontro ou troca de hospedagem por sexo (sim, já ouvi histórias). Eu, sexo masculino, analisando um perfil masculino, e vendo referências somente de mulheres, já nem perco tempo enviando um pedido. O mesmo serve para quando uma mulher só hospeda mulher.

    - Sempre olhe o tipo de hospedagem que a pessoa pode oferecer e qual o gênero que ela está disposta a receber, quantas pessoas, onde irá dormir e se você está de acordo com isto, afinal, o combinado não sai caro né?

  3. Escrevendo um pedido/request:

    - Sério, por favor, não venha com copy e paste para todos os anfitriões que encontrar, pois muitos odeiam isto, e sabem quando recebem um.

    - Leiam os perfis para ver se possui afinidades com as pessoas os quais quer que o recebam. Isso dá muitas dicas e chaves para engatilhar um ótimo pedido e garantir que a experiência seja boa.

    - Fiquem atentos que muitos anfitriões colocam pegadinhas nos perfis, para garantir que eles foram lidos, ou seja, no meio do perfil é comum encontrar algo estranho “Se você leu meu perfil, coloque a palavra (I LOVE DONUTS) no seu pedido/request”.

    - Uma ótima estrutura é escrever um pouco sobre você, sua viagem e seus planos, e principalmente com o porquê você quer que a pessoa te hospede.

    - Uma quantidade ideal de dias é de 2 a 3, afinal todo anfitrião gosta de ter seu tempo e seu espaço também. Essa quantidade de dias permite que se conheçam melhor, possam fazer algo junto e compartilhar experiências.
     


    A imagem já diz tudo, recepção em Nuremberg.

  4. Esteja aberto a novas experiências

    - Isto é um aspecto muito cultural que varia de acordo com o país ou a nacionalidade da pessoa que está te recebendo. Todo mundo tem suas manias, então seja mente aberta, e principalmente, aprenda a respeitar.

  5. Tente de alguma forma retribuir

    - Como eu disse, não é uma troca de favores ou hospedagem, e não se trata de uma obrigação, mas não custa nada dar um agrado ou retribuição ao seu anfitrião, independente do valor. Seja uma lembrança, uma cartinha de agradecimento quando partir, uma cerveja, ou um jantar.


    Uns dos vários nachos que fiz durante 1 ano para a galera que me hospedava.

  6. Após a experiência, deixe uma referência.

    - Isto é muito importante para o andamento deste projeto, afinal, o mundo está cheio de pessoas boas, mas também nem tudo são flores e há os espertões querendo tirar vantagens.

    - Se você teve uma boa experiência, deixe uma referência positiva, agradecendo, e comentando um pouco da experiência que tiveram.

    - Existem também as opções para referência neutras e negativas. É sempre bom ser sincero e postar sem medo, provavelmente você terá um retorno neutro ou negativo também, mas isso é para o bem da comunidade.


    Meu profile pessoaleduardomelo

    E você, tem alguma dúvida? Qual sua experiência com o Couchsurfing? Compartilhe conosco nos comentários. Não deixe de nos acompanhar no facebook e no instagram.
     

Escrito por Eduardo, que durante 12 meses de estrada realizou Couchsurfing durante 8 meses pela Europa e Oceania, conheceu muita gente legal, teve ótimas experiências, foi salvo de dormir na rua algumas vezes, e costumava fazer um jantar de nachos para seus anfitriões.

Confira abaixo a galera de fotos das experiências de Couchsurfing.

  • Compartilhe este post:
  • Facebook
  • Google
  • Twitter